quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Pedaços de Mim 2

     

      De outro lado acho que só quem vive só e acha que é um caso sem solução, que prega a velha ladainha de que no final das contas, o melhor mesmo é viver só. Só se abraça a solidão se não há outra opção. Agora, relendo sua carta, tenho a certeza que, se não vivemos mundos completamente diversos, ao menos nossas histórias, não obstante ser uma, foram vividas de formas diferentes porque mesmo com os olhos fechados, mesmo absorto em meu silêncio, dentro de mim você estava e estaria sempre comigo. De outro lado não te culpo totalmente por sonhares com algo mais, até porque, convenhamos, estive muito longe de ser o homem perfeito.
      Não imagines nem por um segundo que seria possível eu ter pena de ti, como alguém mortificado, dilacerado e apagado da existência tem condições de ter pena de alguém? Mas não creio que estou condenado a procurar, acho que se ainda tenho vontade de buscar é porque ainda tenho coragem de estar vivo. Logo trata-se de uma benção.
      Não posso decididamente concordar contigo, pois até hoje não sei se me afastar foi a decisão certa ou errada, mas naquele tempo, foi a necessária, e por mais vezes que minha mente foi capaz de voltar no tempo, não consegui ver outro caminho, pois conseguis-te fechar todos até restar apenas um: Ir-se.
      Mas posso te falar com toda humildade dos que choraram muito, com toda honestidade dos que pecaram e sofreram por isso, que não obstante o tiro fatal ter sido teu, tenho toda consciência que também fui culpado pois houve um tempo que também foste luz refulgente mas eu era um monstro cego que cegava. Portanto, trata-se de um crime perfeito onde ambos são vítimas, jurados, réus mas se recusam a todo momento nem ao menos admitir serem suspeitos.
      Confesso que é inevitável também sentir a tua falta, não de quem foste nos momentos derradeiros, óbvio, mas quem foste naquela praia doce, naquele luar, ao som daquela canção, nos meus braços. Ao contrário do comum, não fugi das memórias, não apaguei fotos, e-mails, vídeos, textos,  nem mesmo eliminei as boas lembranças, ao contrário.Tento guardá-las pois são mais um motivo para caminhar e seguir em frente, porque antes de tudo, você provou pra mim que por mais improvável que seja, é possível haver outro amanhã.
video      Por outro lado queria te dizer que há tempos que não tenho mais lágrimas para chorar e a dor adormeceu, estou livre. E se ao nos quebrarmos você sentiu que faltou um pedaço de ti, pense  que também uma parte de mim se foi contigo. Assim, mesmo que nossa história esteja definitivamente acabada, mesmo que o livro esteja para sempre fechado, de alguma forma, estaremos um num outro: completos, e pela extrema dor: purificados e quem sabe por fim, perdoados.

By- Adriano Cabral

6 comentários:

  1. Seguir você, gostei muito do blos,
    pode me seguir também ? beijos.

    ResponderExcluir
  2. "Me diz, me diz
    Me responde por favor
    Pra onde vai o meu amor
    Quando o amor acaba"
    (Chico Buarque)

    "O primeiro amor passou.
    O segundo amor passou.
    O terceiro amor passou.
    Mas o coração continua."
    (Drummond)

    "A vida é dura"
    (Adriano Cabral)

    "Ai, que preguiça!"
    (Jayane Rib..., quer dizer, Macunaíma, Mário de Andrade, rs)

    ResponderExcluir
  3. Hum.. pq vc rabiscou a foto??
    É como diz o velho ditado. Aqui se faz, aqui se paga. É complicado quando as mudanças certas trazem consequências erradas.. As vezes o desejo de voltar no tempo e nunca ter mudado parece soar melhor do que o final que a história tomou. Mas acredite, não é. Junto com as doces lembranças que guardas, guarde contigo o que és agora. Mais preparado, mais consciente, melhor. Digno de uma nova linda história. E dessa vez, quem sabe, com um belo final feliz. E se não for, és muito jovem, e tens a vida inteira pela frente. No amor, o papel e a caneta nunca terminam.. Duram enquanto o coração conseguir escrever. ;)

    ResponderExcluir
  4. Nossa Adriano me apaixonei por suas palavras...
    Escrevo... mas confesso que ainda tenho mto chão pra percorrer... pra tocar o coração das pessoas assim... com tanta intensidade...

    ResponderExcluir
  5. Mara, que bom que você gostou do blog. Confesso que às vezes me pergunto se vale a pena continuar...mas nessas horas que a vontade é renovada. E incrível, daqui há pouco serão cem seguidores. Um grande beijo e obrigado.

    ResponderExcluir

É sempre bom ler o que você tem a dizer! Se possível deixe a cidade de onde você esta teclando.