domingo, 14 de março de 2010

Por que... Te amo!



Andei de bar em bar, de festa em festa, agredi, levei porrada e um dia me vi acordando na sarjeta num velho clichê, despertando com o beijo do cão vagabundo.

Deletei e-mails, fotos, postagens do blog. É claro que te expulsei do orkut, msn, icq... Mas não foi suficiente, acabei excluindo qualquer amigo em comum que um dia pudesse nos unir nesse mundo.

Joguei fora presentes, roupas, cartas e qualquer coisa que deixasse mais viva a tua lembrança...

Fiz terapia, reescrevi nossa história e transformei-te em vilão e hoje todos que andam comigo fazem coro pra me lembrar do  porque não devo nem recordar mais tua existência.

Mudei de cidade, mudarei de país, conheci novos amores, inventei tantos outros, e quase acreditei que te esqueci.

Desliguei meu telefone, vou mudar meu nome, vais acreditar até mesmo que morri
Cultivei a mágoa, o ódio e o desprezo e lembrei de todo desespero que contigo vivi.

Ignorei teus e-mails, cartas e apelos, não quero nem mais ouvir a mim.

Eu preciso reaprender a ser feliz.

by- Adriano Cabral

14 comentários:

  1. Gostei tanto que acho que vou salvar e mandar para um alguém...
    O amor é assim amigo... é **** mas é assim...
    A linha entre o amor e odio é tao pequena que as vezes nos confundimos...
    Mas relaxa, a fila é grande e Paris está logo ali... ;D

    ResponderExcluir
  2. Se isso tudo for verdade, e não meramente um texto, diga-me a que país tu vais. E por favor, me exclua da sua lista de amigos em comum, e me adicione apenas como sua amiga. Assim não terei a infelicidade de perder o contato contigo. E se me uni ao coro, acredite. Foi por acreditar que seria melhor assim.
    Mas, concordo em parte com a Nine. A fila é grande, e Paris está logo ali. Mas ainda assim, tome cuidado. As vezes a distância só intensifica os pensamentos, e dificulta o esquecimento. Acho que o tempo continua sendo o melhor dos remédios. E, no mais, sabes que podes sempre contar com a amiga japonesa aqui. Smack.

    ResponderExcluir
  3. Ah minha querida, não se preocupe, o texto não fala da mim. Ele foi inspirado numa pessoa que conheço que vivenciou coisas parecidas, e só. Achei interessante a história dela e resolvi transformar em texto. As vezes às pessoas vivenciam experiências afetivas de forma beeeeeeeeeem peculiares...como "este" personagem que por amar tanto prefere se apegar a tudo que é negativo para tentar esquecer.
    Será que consegue? Acho também que não.

    ResponderExcluir
  4. Não tenho o que dizer, simplesmente nostálgico. Eu preciso reaprender a ser feliz também.

    ResponderExcluir
  5. Isso é o que acontece quando nosso querer (e aí está incluída nossa imagem diante das pessoas), muito racionalmente, deseja algo diferente do nosso coração. Acredito que o amor não deve ser entendido, mas vivido, e muito bem vivido. Quando amamos e, como diria um amigo, 'queremos não querer' sentir tal sentimento ficamos assim, querendo excluir a qualquer custo o sentimento ou a pessoa da nossa vida, e tentamos cultivar, como diz o texto, apenas coisas ruins, talvez para ter mais força em tentar acreditar que o que fazemos é realmente certo. Agora, como já foi comentado anteriormente, acredito também que isto não adianta. Não deve ser fácil excluir das memórias e da própria vida momentos bons e agradáveis que passamos com outra pessoa, mesmo que por algum motivo tenhamos passado por situações não tão boas. Sou a favor de ser feliz mantendo as boas lembranças, caso o relacionamento não dê certo, e se tem motivos para dar certo não vejo porque tentar lutar contra ele, mas cada um tem os seus motivos, né...

    ResponderExcluir
  6. Uaah! Gostei, ótimo ritmo de texto, e belas palavras ele tem... adorei a mensagem em que ele passa. me fez quase lembrar de que "quanto maior o amor maior a dor". Porém me fez esquecer de tudo isso no final.

    ResponderExcluir
  7. Eu acho esse tipo de atitude suicida aceitável somente em uma ÚNICA hipótese: quando você não é correspondido e nãe tem condições psicológicas e maturidade para superar a perda.

    Agora, se a pessoa sabe que é amada, e MESMO ASSIM faz tudo isso para esquecer...poderia concentrar esforços no sentido contrário...para fazer tudo diferente e ficar junto da pessoa que ama.
    É o que eu ACHO.

    ResponderExcluir
  8. A personagem está vivendo um momento de surto. Onde se busca negar tudo o que se viveu, distorcer as coisas, apagar as lembranças... É uma tentativa desesperada de diminuir a dor. E para isso, ela busca enganar a si mesma. Até quando? Não saberemos. Mais um dia ela vai cair na real e amadurecer. E ver que não adianta nada fugir. Que o melhor é encarar o fim do relacionamento com todas as coisas boas e ruins. E não tentar apagá-las, afinal, elas fazem parte de sua história. E se achar que essa relação não chegou ao fim... corra atrás de recuperar o tempo perdido.

    ResponderExcluir
  9. Admiro àqueles que conseguem se desligar de uma paixão dessa forma. Não que eu aprove que haja mágoas e tal, mas enfim, é um indicativo que se tem consciência que se deve seguir em frente.Eu ainda não consigo, por isso amargo minhas dores...

    Rio de Janeiro.

    ResponderExcluir
  10. Li,e percebi que ralata um pouco da minha história tbm.Perfeito.

    ResponderExcluir
  11. Muito bom... eu me vi neste texto... Meu grande amor me deixou, e logo fui excluindo de Orkut, MSN, deletando fotos, quis me desfazer de todos os presentes, mas isso não era suficiente porque ela se regsistrou na minha história. Nesse deleta de tudo ainda consegui em espaço em seu MSN novamente e um programa que recuperou fotos que eu tinha deletado. Enquanto tiver ela no MSN não a esquecerei? (a bandeirinha que sobe com ela e seu novo amor) - acredito que o mundo da voltas..

    ResponderExcluir
  12. Não adianta tentar apagar.... nao adianta. passamos a vida toda lutando em vão.
    por mais que se minta pra si mesmo. Melhor tentar de novo ou se conformar. E só.

    ResponderExcluir
  13. "se a pessoa sabe que é amada..." se amar fosse certeza seria facil demais...alguem me disse que amor não é suficiente e eu discordei protamente e ainda discordo... ter a certeza se outro ti ama não é tarefa facil, mas talvez essa nem devesse ser a meta final, o amor deveria se contentar com a presença, queremos mais claro,e ai que se verifica o verdadeiro amor, quremos mais lutamos para ter mais porque sentimos que vale a pena por mim, por vc, por nós... ah a certeza definitiva da intensidade dos sentimentos do outro não entra na conta porque se fosse contabilizada, não moveriamos os pés do chão.

    ResponderExcluir
  14. Difícil isso, as a vida ensina e reensina. As escolhas estão aí para nos libertar de nós mesmos e do que os outros são capazes de agir em nós.
    Gostei da radical e dolorosa maneira de despir-se essa pessoa :)

    ResponderExcluir

É sempre bom ler o que você tem a dizer! Se possível deixe a cidade de onde você esta teclando.