quarta-feira, 30 de setembro de 2009

CREPÚSCULO DOS DEUSES



Piedade após agonizar anos numa longa peregrinação cheia de hospitais, dor, esperança e desalento morreu em maio. Há um ano seu José, sertanejo, um forte, foi arrancado da vida literalmente, um choque. Elisa tinha apenas 18 anos quando sua cabeça começou a doer, duras horas depois ela estava morta. Ontem a boa professora Gilda morreu num violento infarto fulminante. Em algum lugar duas pessoas que pareciam ser eternas juntas se separaram da forma mais estúpida possível, assassinando dois seres em vida, o chamado crime perfeito que deixa suspeitos.
É a primeira vez que meus anos se passam e estou com essa espaçosinho ora pretencioso, ora "grandioso" mas que na verdade tem sido uma das poucas fontes de prazer que tenho tido nos últimos meses. Nesses momentos acho que é inevitável uma reflexão sobre o que foi sua vida, o que ela tem sido, e pra onde ela poderá ir afinal. O poderá é muito forte, afinal, a vida presente dado sem perguntas é retirada com a mesma cerimônia, nenhuma. E no limiar da jornada da existência eu tenho aproveitado a minha vida?
Bem, a primeira coisa que notei que o termo "aproveitar a vida" tem sido uma espécie de "maldição" modista, porque, dependendo da sua idade e condições financeiras já "determinam" como sua vida deve ser aproveitada. Se você é muito jovem tem que se perder em baladas, tem que ter muitas "experiências" nas ficadas, depois no meio da existência, tem que se enfurnar no trabalho, "vencer na vida", ser "valorizado" pelo que você pode ganhar e finalmente, quando você envelhece, aí sim, talvez você possa ser um ser humano que dá atenção aos amigos, parentes e seus amores. Mas peraí, nessa altura da vida a maioria sumiu ou morreu e de repente você se encontra só recebendo a visita piedosa de quem restou.
Eu definitivamente não acho que aproveitar a vida é se perder em festas e farras, pra mim, basta ir onde há pessoas que você gosta ou até ficar em casa batendo um papo. Que ninguém precisa da "experiência" de se agarrar com tantas pessoas se é possível abraçar e beijar alguém que pode ser o único amor de sua vida.
Eu definitivamente acho que não é aproveitar a vida você se perder no trabalho ignorando, filhos, maridos, esposas, só para ostentar uma enorme conta bancária e algumas pontes, não que ligam, mas safenas dentro do seu coração. Tenho mais firme certeza que aproveitar a vida é fazer o trabalho que gosta com o único fim de ter qualidade de vida e ter mais tempo para os entes queridos.

Enfim, sou um ser sem grandes ambições, gosto muito das pessoas e valorizo tão pouco coisas. Tenho um dom terrível que é a ótima memória e isso me impede de esquecer com facilidade as dores da vida ou as pessoas que passam e não voltam mais.

Passamos a maior parte da vida fugindo da morte, não falamos, não refletimos, não tentamos muito entender  e cada vez que ela chega, parece uma grande surpresa. "Ah ela só valorizou fulano depois que perdeu". Grandes casais e amigos se separam às vezes por coisas casuais ou por quase  nada, não tem noção do que é perder definitivamente laços afetivos tão importantes e arduamente construídos.

Por isso, lembrando do finado menestrel Renato Russo, posso dizer que quero de agora em diante aproveitar a vida...
Pois digam o que disseram, minha mãe e minha família esperam por mim....
Meus verdadeiros amigos, esses são muito poucos, por isso tão valiosos, também estão lá, esperando por mim...
E agora meu filho também espera por mim....
E tenho certeza que alguém do passado, ou do futuro...também espera por mim...

E se a vida passa e tudo acaba, vou fazer cada dia uma eternidade, vou fazer da vida finita o para sempre, pois vou viver intensamente cada dia, vou continuar vivendo lutando mais ainda para conquistar novos mundos e manter a todo custo os que já possuo,  e só vou descançar  quando for arrancado da vida, também.

11 comentários:

  1. Estava passando no orkut e vi o link de seu blogue. Li algumas de suas crônicas e achei o material de primeira. Essa sua reflexão sobre a vida me faz pensar o quanto corremos e às vezes nos apegamos àquilo que menos interessa. O importante é de fato aquilo que realmente importa.
    P.S - Você gostaria de uma parceria de links? O meu endereço é: http://aspalavrasqueoventoleva.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Amanda Mascarenhas1 de outubro de 2009 09:51

    Essa crueldade que é a vida, nos dá forças quando não temos recursos para aproveitar e nos tira a energia quando estamos exaustos depois de lutar por um lugar ao sol!
    Adorei sua crônia, me deixou com uma pergunta na cabeça:
    _ Viver para morrer ou morrer para viver?
    Acompanhando sempre!!! Grande abraço!!!

    ResponderExcluir
  3. Como a morte não é uma opção...parece que o mais adequado é viver para morrer...:-(

    ResponderExcluir
  4. Pois é..."mas tudo passa,tudo passará e nada fica,nada ficará..." uma das poucas certezas dessa vida é a morte e o arrependimento que sentimos por nao termos aproveitado os bons momentos com aquelas pessoas que se foram e nao voltam mais certamente. Se a gente conseguisse realmente cumprir um "carpe diem" de verdade,seria perfeito. A vida é bonita e é bonita? é sim,mas a tristeza, as desavenças fazem parte e a gente so tem q saber ou tentar,ao menos,superar tudo isso.
    É isso,meu caro,nao temos mto tempo a perder, cada minuto vale ouro ja dizia vovó, entao aproveitemos tudo e todos.Afinal como diria também o grande Russo"É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanha,porque se vc parar na verdade nao há."

    bjos

    ResponderExcluir
  5. O grande problema é que muitas vezes somos "seduzidos" por um "agora" que todo mundo diz que você tem que viver e deixamos o que é realmente importante de lado, acabamos nos perdendo
    Perdidas vamos para longe do que interessa, e ás vezes ficamos tão longe que fica cada vez mais difícil de voltar.
    Acredito que a ÚNICA SOLUÇÃO é ser fiel EFETIVAMENTE aos nossos sentimentos e não lutarmos contra nós mesmos, nossos eus de verdades e que SE DANE o mundo. A vida é muito curta para vivermos a vida pelos outros. Temos tão poucas coisas boas na vida que essas poucas, temos que lutar com unhas e dentes para mante-las, pois não sabemos quando vai acontecer de novo.

    ResponderExcluir
  6. A morte é a única certeza que temos na vida - um dia todos vamos morrer. Então se não tem como fugir dela o melhor que temos realmente é aproveitar a vida. Concordo com o texto quando trata sobre "aproveitar a vida". Acredito que para aproveitar é necessário nos sentirmos bem, não fazer o que os outros querem que fassamos ou se matar apenas para manter a imagem para as outras pessoas. Então o ideal é que aproveitemos cada segundo da nossa vida da melhor maneira possível, valorizando o que realmente é importante.
    Confesso que ao iniciar a leitura do texto, achei que fosse diferente, que fosse um texto todo "pra baixo", mas me surpreendi com um belíssimo texto e um final cheio de esperança.

    ResponderExcluir
  7. Pois é, Seu Adriano, viver é experimentar a dor do nascimento e da morte. Nascem muitas coisas na nossa vida, assim como morrem. Dos dois, o que fica são as lembranças.Portando, "Carpe diem", companheiro. Simbora que há muito o que se viver ainda, além do ato de se eternizar através das belas poéticas palavras :)



    Beijooo

    ResponderExcluir
  8. É muito fácil simplesmente dizer: vou viver a vida. Difícil mesmo é saber: O que é viver a vida? Viver a vida p/ vc com certeza é diferente do meu viver a vida. E não existe manual de instrução nos dizendo qual é o de quem. O lance é ter coragem de experimentar, cair, levar na cara, sacodir a poeira e levantar. E isso tudo sem perder a motivação e o bom senso, afinal, nem só de amor e aventura o homem viverá. Logo, precisamos criar condições para se viver a vida. - Como se desse para viver outra coisa. Sem filosofar demais, é só ser realista e ter bom senso. Isso p/ mim é viver a vida, e não simplesmente deixar-se levar. Quem sabe o que quer, corre atrás e faz com as proprias mãos o seu viver a vida. Pode demorar um dia, um mês, um ano, ou 10 anos. Mas um dia, com certeza conseguirá.

    ResponderExcluir
  9. The last little girl on earth.

    hoje em dia proliferam-se manuais de como viver a vida, " os dez livros que vc não pode deixar de ler", "as dez viagens da sua vida", "5 vinhos que vc tem que saborear antes de morrer", claro estrátégias de propaganda, que se agarram no maior medo humano, não viver... e citando alguem que conheço bleeeeeeeeeeeeeeee, só vc pode saber o que éviver, e só se sabe isso vivendo, eu sempre me irritei com esses tipos de manuais, talvez por isso não goste de um texto que todos gostam aqui *se preparando para apanhar*... o que é preciso para viver um grande amor... manual para amar? só se aprende a amar amando, e não dá para ensinar coragem, a coragem surge quando a pessoa percebe que o medo de não viver tal sentimento é menor, que a assustadora possibilidade de deixa-lo ir sem realmente vivencia-lo.

    ResponderExcluir
  10. Delicioso texto para se ler num sábado às 2h30.
    Você é muito bom com as palavras e já deve saber disso.
    Obrigada por permitir um momento de identificação.

    ResponderExcluir
  11. Morgana, para pessoas como eu que se doa, se expõe e se despedaça publicamente através da internet acredito que a maior reconpensa é ler comentários como os seus. De certa forma, assim, temos sempre certeza que não estamos sós.
    Compartilhe os textos que você gostou com seus amigos um beijo

    ResponderExcluir

É sempre bom ler o que você tem a dizer! Se possível deixe a cidade de onde você esta teclando.